Pesquisar este blog

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Osvaldo Nunes - Singles & Raridades

Osvaldo Nunes, um dos precursores do samba rock, fez sucesso ao longo dos anos 1960

Taí um cantor que gosto muito e hoje é esquecido: Osvaldo Nunes, um sambista de mão cheia com influência da Jovem Guarda, samba rock e samba de breque. Esta coletânea reúne músicas de 12 compactos simples e um duplo, lançados entre 1967 e 1978 pelas gravadoras Odeon, Equipe, CBS, Polydor, Chantecler e RCA Victor. A seleção começa com a balada jovenguardista "Eu chorei", única romântica do repertório. A partir da segunda a ordem é balançar o esqueleto. O principal destaque é o samba "Segura este samba ogunhê", um enorme sucesso em 1968, período de grande popularidade do cantor que começou a carreira no final dos anos 1950, participando dos programas do Carlos Imperial, o mesmo que ajudou Roberto Carlos no início profissional, no Rio. Canções como "Tá tudo aí", "Tá chegando mulher", "Deixa o meu cabelo em paz" e "Levanta a cabeça" também foram bem executadas, principalmente nos bailinhos no final dos anos 1960, período de efervescência do samba rock, do qual considero um dos pioneiros.

Osvaldo Nunes nasceu no Rio de Janeiro em 02 de dezembro de 1930. Órfão de pai e mãe, foi criado por instituições de amparo ao menor. Aos 13 anos fugiu e passou algum tempo vivendo na marginalidade no bairro boêmio da Lapa. Chegou a ser preso. Depois foi vendedor de balas, engraxate, camelô e artista de rua. Mais tarde começou a frequentar rodas de samba e blocos de carnaval quando sentiu que tinha inspiração para compor músicas e talento para cantar. Nunca se afastou do bairro da Lapa onde chegou a conhecer Madame Satã. Quando deixou a marginalidade, Osvaldo Nunes fez sua primeira composição aos vinte anos, que foi o samba "Real melodia".

Em 1951, seu samba "Vidas iguais", com Ciro de Souza, e o samba-canção "Estranho", com Cabeção, foram gravados por Leny Eversong na Continental. Em 1955, o samba-canção "Aquele quarto", com Aníbal Campos, foi gravado por Dalva de Andrade na mesma gravadora. Em 1962, gravou seu primeiro disco pelo selo pernambucano Mocambo com os sambas "Lar vazio" e "Agradecimento", ambos de sua autoria. No mesmo ano, gravou o twist "Vem amor" (baixe aqui), parceria com Lino Roberto, e o samba "Fim", de Lino Roberto. Ainda nesse ano, juntamente com o Bloco Carnavalesco Bafo da Onça gravou aquele que seria seu primeiro sucesso, a batucada "Oba", que continuou a embalar os desfiles do bloco nas décadas seguintes e que se tornou o hino oficial do Bloco Bafo da Onça.

Ainda em 1962, lançou o primeiro LP, "Ôba", também pela Mocambo, já relançado em CD. No ano seguinte, gravou os sambas "Zé da Conceição", de João Roberto Kelly, e "Alô! Meu bem", de sua autoria. Nesse ano, seu "Samba do saci", com Lino Roberto, foi gravado por Clóvis Pereira em interpretação de órgão, e os sambas "Chorei, chorei" e "Samba do saci" foram registrados pelo Bloco Carnavalesco Bafo da Onça. Gravou para o carnaval de 1965, o do quarto centenário do Rio de Janeiro, as marchas "A Dança da Pulga", de sua autoria e Pernambuco, e "Saudações ao Rei Momo", de sua autoria. Nesse ano, fez grande sucesso com a marcha "Na onda do berimbau", composição sua. No carnaval de 1967, fez sucesso com a marcha "Mãe-ê", de sua autoria. Destacou-se no ano seguinte com a marcha "Voltei", e em 1969, com a marcha "Levanta a cabeça". Na segunda metade da década de 1960, apresentou-se em shows acompanhado do grupo The Pop’s, com o qual gravou em 1968 o LP "Tá tudo aí" pelo selo Equipe.

Em 1970, já na gravadora CBS, lançou o LP "Bota samba nisso", produzido por Raul Seixas (veja foto ao lado) e obteve o segundo lugar no IV Festival de Músicas de Carnaval com o samba "Não me deixes", de sua autoria em parceria com Milton de Oliveira e Helton Menezes. No mesmo festival, foi finalista com o samba "A escola vai descer", com Aristóteles II. Em 1971, ano em que alterou a grafia do seu nome, de Osvaldo para Oswaldo, sagrou-se tricampeão do Concurso Oficial de músicas de carnaval da Guanabara promovido pela Secretaria de Turismo da Guanabara, TV Tupi e jornais O Dia e A Notícia, com o samba "Saberás", parceria com R. Gerardi. No mesmo ano, lançou pela CBS o LP "Você me chamou", no qual cantou, apenas de sua autoria, a faixa "Real Melodia".

O quinto LP "Ai, que vontade" só foi lançado em 1978 pela RCA. O cantor de tanto ritmo, excelente voz e também grande compositor, era homossexual assumido, não dava bandeira. Tinha cara de mau, era valente e adotava uma postura de cabra macho. Muitas vezes quebrou o pau lá pelo bairro boêmio onde sempre viveu. Foi assassinado em 18 de junho de 1991, aos 60 anos, enquanto dormia no seu apartamento na Lapa, provavelmente por um garoto de programa. Onze anos depois, a Justiça deu a sentença do espólio do cantor. Em testamento, o sambista deixou um apartamento e todos os seus direitos autorais para o Retiro dos Artistas, no Rio. Hoje, 20 anos após sua morte, a gente percebe o legado que deixou para a atual geração de sambistas. Impossível ouvir "Samba do trabalhador" e "Vou tomar um porre" e não se lembrar das músicas de sucesso do Zeca Pagodinho. A diferença entre ambos está na falta de espaço e apoio da mídia ao Osvaldo, cujo assassinato teve pouca repercussão e o crime não foi desvendado, caindo no esquecimento. A semelhança entre Zeca e Osvaldo está no talento. Confira:

01 - Eu chorei (1968)
..... (Osvaldo Nunes)
02 - Tá chegando mulher (1969)
..... (Osvaldo Nunes - A. Santos)
03 - Segura este samba ogunhê (1968)
..... (Osvaldo Nunes)
04 - Dendeca (1968)
..... (Osvaldo Nunes)
05 - Tá tudo aí (1968)
..... (Celso Castro - Osvaldo Nunes)
06 - Você deixa (1968)
..... (Osvaldo Nunes)
07 - Mulher de malandro (1968)
..... (Celso Castro - Osvaldo Nunes)
08 - Samba do trabalhador (1969)
..... (Darcy da Mangueira)
09 - Parece mandinga (1969)
..... (Candeia - Osvaldo Nunes)
10 - Aquele abraço (1969)
..... (Gilberto Gil)
11 - Ê... ê... rapaziada (1969)
..... (Osvaldo Nunes - Rutinaldo - Milton de Oliveira)
12 - Levanta a cabeça (1969)
..... (Osvaldo Nunes - Ivan Nascimento)
13 - Sonhei com você (1969)
..... (Osvaldo Nunes - Cosme de Oliveira - Roberto Muniz)
14 - Fessôra (1969)
..... (Celso Castro - Denis Lobo - Osvaldo Nunes)
15 - Nem só de pão vive o homem (1967)
..... (Paquito - Romeu Gentil - Osvaldo Nunes)
16 - Voltei (1967)
..... (Osvaldo Nunes - Celso Castro)
17 - Espírito de porco (1967)
..... (Osvaldo Nunes - Edson Mello)
18 - Tempos de criança (1967)
..... (Osvaldo Nunes - Jonas Garret)
19 - Saberás (1970)
..... (Osvaldo Nunes - J. Aragão - R. Gerardi)
20 - Vai (1970)
..... (Osvaldo Nunes)
21 - Andou... andou (1971)
..... (Milton de Oliveira - Osvaldo Nunes)
22 - Samba do piau (1971)
..... (Tito Mendes - Osvaldo Nunes - Carlos J. Silva)
23 - Mudança do vento (1975)
..... (Agepê - Canário)
24 - Vamos em frente (1975)
..... (Osvaldo Nunes - Ary Junior)
25 - Ai, que vontade (1977)
..... (Beto Sem Braço - Dão)
26 - Dendê na Portela (1977)
..... (Hilton Veneno - Osvaldo Nunes)
27 - Vou tomar um porre (1978)
..... (Paulinho da Mocidade - Jurandir Bringela)
28 - Tim tim tim ô lê lê (1978)
..... (Zé Pretinho da Bahia - Osvaldo Nunes)

21 comentários:

  1. http://www.4shared.com/rar/2aqKTwwB/168_-_ONSR.html

    ResponderExcluir
  2. ÓTIMA COLETANEA DO OSVADO NUNES SERÁ QUE O AMIGO TEM O LP BOTA SAMBA NISSO QUE ESTA A CAPA ACIMA FICARIA MUITO AGRADECIDO ABRAÇOS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não tenho o LP de 1970, mas o baixei no blog Global Groovers, onde o link para download está inválido. Assim, tomei a liberdade de fazer um novo upload no 4shared. Você pode baixá-lo aqui:

      http://www.4shared.com/rar/ifU1UTtl/ONBSN.html

      Excluir
    2. Oi por favor eu não entendi e gostaria de saber como faço para baixar esse cd do cantor osvaldo nunes.Poderia me ensinar?Obrigado

      Excluir
    3. Você deve copiar o link do 4shared e colar no seu navegador, provavelmente o Internet Explorer. Vai abrir a página do 4shared. Clique em "Download now". Será aberta uma janela. Aguarde os 20 segundos que aparecem em ordem decrescente. Depois é só clicar em "Download file now". Vai aparecer uma janela na tela, onde você deve escolher a opção "Salvar". Escolha a pasta do seu computador onde você vai querer salvar o album do Osvaldo Nunes. Feito isto, é só salvar. Simples, não?

      Excluir
    4. Muito obrigado querido amigo eu consegui baixar.Vlw pela orientação

      Excluir
  3. Voces por acaso tem ai o LP do cantor osvaldo nunes AI QUE VONTADE de 1978 para baixar ou as musicas desse LP? Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não tenho o LP. Nesta coletânea estão incluídas quatro músicas deste disco, lançadas em compacto simples.

      Excluir
  4. Muito obrigado por essas musicas do osvaldo nunes.Eu tenho 42 anos e minha mãe tinha o LP ai que vontade,apesar daquela epoca eu ter apenas 8 anos mesmo assim eu adorava ouvir,pricipalmente vou tomar um porre.Osvaldo nunes sera sempre um sambista inesquecivel em nossas coraçoes.Mais uma vez agradeço por essas recordaçoes lindas.Vlw...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom saber que gostou da seleção. Aproveite e baixe também o volume 3 da coletânea "No tempo das 78 RPM", que inclui o twist "Vem amor", de 1962, uma das primeiras gravações do Osvaldo Nunes, o que o coloca também entre os pioneiros do rock brasileiro. Abs.

      Excluir
  5. MUITO OBRIGADO!!!! por compartir o magnifico Oswaldo Nunes. Fazia muito tempo que procurava por ele.
    Valeuuuuuuu!!!!!
    Alexandre

    ResponderExcluir
  6. esse No Tempo das 78 rpm , onde posso encontralo... carlos z/leste s.p.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No texto de apresentação do Osvaldo Nunes tem o link pra você baixar o terceiro volume da série No Tempo das 78 rotações, postada no SM.

      Excluir
  7. sabe Amigo, por muitas e muitas vezes eu tive vontade de fazer os comentários e pedidos meus ,porém ,nuca dava certo, parece que agora consegui, e se der certo de novo,,, estou procurando por um cantor de samba dos anos 80´s, entre 1977 á 1982, Dedé Badaró, falecido,era de São miguel Pta, S. P. e cantava igualzinho á Agepê, e se ñ me falhe á memória, também morreu de cirrose, em nos anos 80´s, musicas: o banquinho e cavalo branco, já achei na internet ,mas só a capa e ñ faço nem idéia como encontrar os álbuns,é considerado muito raro, e os dois vinis que eu tinha eu ganhei do meu cunhado, que por sua vêz ganhou do proprio Dedé Badaró, na época eu era um moleque que ñ ligava muito pra samba, hoje eu curto muito, principalmente os das antigas, bem, se por acaso vc conseguir esses discos pesso carinhosamente ,para que poste ,para todos os colecionadores de plantão , pois vale muito á pena, abraços e um obrigado desde já pela atenção... Carlos Da Z/L.. São miguel pta.. S. P....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente eu não conheço o Dedé Badaró. Até eu fiquei curioso por ouvi-lo. Se um dia encontrar disco dele, com certeza será postado. Abs.

      Excluir
  8. De qualquer forma já estou agradecido e se por acaso eu conseguir de alguma forma, eu também te passo ,pode ter certeza que é muito bom, quem ouviu Agepê e gostou ,também vai gostar de dedé badaró... mas valeu, e estou sempre acompanhando esse blog que considero maravilhoso , valeu..carlos da z/l

    ResponderExcluir
  9. Gostaria de saber, se você não tem a musica do Oswaldo Nunes do LP VOCÊ ME CHAMOU de 1971, "REAL MELODIA", essa musica é muito linda. Obigado pela atenção

    ResponderExcluir
  10. Olá. Gostaria de baixar : Na Onda do Berimbau com Oswaldo Nunes.A Sua URL não tem a musica, só o grupo The Pops.Muito fraquinho e não acrescenta nada.A musica (rara) parece ser apenas uma isca p/ seu blog.Feio isso !!!

    ResponderExcluir
  11. gostaria de ouvir parece mandinga de oswaldo nunes

    ResponderExcluir
  12. Pelos idos de 68 eu curtia loucamente o Osvaldo Nunes vg o tempo passou e hoje curto muito mais vg ele e maravilhoso
    Abraços a todos pt
    Esteves DF

    ResponderExcluir
  13. Parabéns pela homenagem a esse grande nome da nossa música. Suas músicas marcaram época e o principal, após sua morte seus bens ajudam os artistas mais velhos a terem um pouco de dignidade.

    ResponderExcluir