Pesquisar este blog

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Os Incríveis - Singles & Raridades

Coletânea da banda Os Incríveis comporta 40 gravações distribuídas em dois CDs

Uma boa notícia: finalmente, sem que eu fizesse coisa alguma, estou conseguindo escrever nos comentários. Já estava me sentindo incomodado com essa impossibilidade. Não sei até quando perdurará o tempo de bonança com o Blogger, mas até lá todos os links para download serão colocados no espaço reservado para comentários.

Depois de postar três singles do grupo Os Incríveis, achei que seria legar reunir as gravações avulsas, lançadas em singles e projetos especiais feitos a partir de 1967, quando os músicos trocaram o nome The Clevers pelo atual e mudaram de gravadora, da Continental para a RCA Victor, onde registraram os principais êxitos. A coletânea comporta dois CDs com 20 faixas cada, disponibilizadas por ano de gravação. Infelizmente, a discografia da banda na Internet não está completa, e muitos fãs ficam surpreendidos quando se deparam com gravações até então desconhecidas. Esta coletânea traz, por exemplo, o registro de “Aquarela do Brasil”, lançada em 1970 no LP “Disparo 70”, disco que reúne o cast da RCA. A gravação caiu no esquecimento e não consta na discografia da banda.

Outro exemplo é “Paulada no coqueiro”, de 1969, incluída em 1997 no CD “O melhor de Os Incríveis”. Até o momento desconheço em que disco foi lançada ou se trata de gravação inédita, como é o caso de “Árvore”, de Dom, lançada em 2006 no CD “Os Incríveis – Maxximum”. Consta que “Arvore” saiu num compacto simples em 1972, com “Viver” no lado B, apenas para divulgação, e não foi distribuído comercialmente. Também desconheço a origem da instrumental "España Cañi", de 1981, lançada no CD duplo "Os Incríveis - 100 anos de música", em 2001. O grande mistério é o single, incluído na discografia e que nunca encontrei, com a música “Corinthians”, de 1977, com "Isso é a felicidade", no lado B. Ficarei agradecido se alguém puder disponibilizar essas duas gravações - "Viver" e "Corinthians" - que faltam em minha coleção.

A banda Os Incríveis foi formada em 1962, em São Paulo, com o nome The Clevers, inspirado nos conjuntos instrumentais norte-americanos, muito populares na época, como The Ventures e The Shadows. Porém, aos poucos foram introduzindo músicas cantadas, interpretadas pelo guitarrista-base, Mingo, que tinha uma boa voz e chegou até a gravar isoladamente. As primeiras gravações datam de 1963 com um compacto e um LP, fazendo sucesso dentro do estilo twist, então na moda, com destaque para a música El Relicário.

Entre o fim da década de 60 e o início da seguinte, os artistas lançaram músicas muito populares como a versão "Era um Garoto que como Eu Amava os Beatles e os Rolling Stones" (Gianni Morandi, versão de Brancato Jr.), "Vendedor de bananas" (Jorge Benjor), "Molambo" (Jayme Florence - Augusto Mesquita), "O vagabundo" (versão de George Freedman para "Giramondo") e "Eu Te Amo, Meu Brasil" (Dom), canção identificada com o regime militar e que trouxe desprestígio para o grupo, que logo se dissolveu.

Alguns dos integrantes partiram para carreira solo, como Netinho, que fundou o grupo Casa das Máquinas e lançou em abril de 2009 sua autobiografia. No fim da década de 80 os músicos se reuniram mais uma vez, com formações variáveis, para apresentações e shows pelo Brasil. Participaram ainda dos discos e shows comemorativos dos 30 anos da Jovem Guarda, em 1995. A principal formação de Os Incríveis traz Mingo, voz e guitarra; Risonho, guitarra; Manito, teclados e saxofone; Netinho, bateria; Neno e depois Nenê, baixo.

CD – 01

01 - 1967 - Tartaruga
02 - 1969 - Santa Lucia
03 - 1969 - Tan-tan
04 - 1969 - Paulada no coqueiro
05 - 1970 - Aquarela do Brasil
06 - 1970 - Belinda
07 - 1970 - Herbie
08 - 1970 - Maria José
09 - 1970 - Se o meu fusca falasse
10 - 1970 - Que cosa linda
11 - 1970 - El vendedor de bananas
12 - 1971 - Ei, bicho
13 - 1971 - Hino da independência
14 - 1971 - Hino nacional brasileiro
15 - 1972 - Árvore
16 - 1974 - Cem milhões de corações
17 - 1975 - A chuva parou de cair
18 - 1975 - A estrela de David
19 - 1975 - Caminhemos
20 - 1975 - Debaixo da cachoeira

CD – 02

01 - 1975 - Quando amanhece
02 - 1975 - Você vai ser mamãe
03 - 1976 - Bye bye fraulin
04 - 1976 - Esse é um pais que vai pra frente
05 - 1976 - Este é o meu Brasil
06 - 1976 - Marcas do que se foi
07 - 1976 - Guarde teus beijos para mim
08 - 1976 - Pindorama
09 - 1977 - O Brasil é feito por nós
10 - 1977 - Você precisa acreditar
11 - 1978 - Goooo-ool! Brasil!
12 - 1978 - O canário vai cantar
13 - 1979 - O amor nasceu (Born to be alive)
14 - 1979 - A.C.M. (Y.M.C.A)
15 - 1981 - España Cañi
16 - 1995 - Era um garoto que como eu amava os Beatles e os Rolling Stones
17 - 1996 - O milionário (ao vivo)
18 - 1996 - O vagabundo (ao vivo)
19 - 1996 - Era um garoto... - Twist and shout – Satisfaction (ao vivo)
20 - 1996 - Era um garoto que como eu amava os Beatles e os Rolling Stones (ao vivo)

25 comentários:

  1. CD – 01

    http://www.mediafire.com/?ficn8bccnf2690f

    CD – 02

    http://www.mediafire.com/?lwxrx1blt24e076

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cd-01 link quebrado tem como vc verificar amigo

      Excluir
    2. O link ativo está logo abaixo, postado em 26 de novembro de 2011. Abs.

      Excluir
  2. O link do CD 01 não funciona, tem como concertar.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
  3. Nicolly

    O novo link do CD 01 é este:

    http://www.4shared.com/file/KjDocgls/95_-_CD1_-_OISR_-_wwwsanduiche.html

    ResponderExcluir
  4. Muito legal esta raridade de Os Incriveis! Muito obrigado pelo presente! E parabéns pelo Blog!

    ResponderExcluir
  5. O link do CD 02 também não está funcionando, tem como concertar.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O link está funcionando normalmente. Acabei de verificar. Abs.

      Excluir
  6. não, o link 2 não está funcionando amigo....

    diz "Este ficheiro tem sido identificada como um trabalho de direitos de autor protegidos e não pode ser distribuído utilizando MediaFire."....


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente é muito estranho. Eu acabei de baixar a pasta sem nenhum problema. Em todo caso, segue um segundo link:

      http://www.4shared.com/rar/6pXiqt6p/95_-_CD2_-_OISR_-_wwwsanduiche.html?

      Abs

      Excluir
  7. Amigos, ja tentei todas as formas acima indicadas. O site inicia baixar mas, interrompe logo a seguir.. Alguem pode me ajudar??

    ResponderExcluir
  8. Grande postagem. Gostaria muito de ter as faixas de Os Incríveis que o Chico procura. Infelizmente, não as tenho. São, realmente, muito raras ("Corinthians" e "Viver"). Principalmente, para alguém que se prestou a compartilhar essa grande coletânea daquele afamado grupo musical com os internautas que acompanham sua página na Net.
    Entretanto, gostaria de lembrar que uma raridade deixou de ser, pelo menos, citada. Trata-se de "El Relicario", que saiu na coletânea da série "Disco de Ouro (1977). É uma regravação, já que a "El Relicario" original está em um dos lados de seu 1º. disco (ainda sob o nome de The Clevers), um 78 rpm pela Continental.

    ResponderExcluir
  9. Chico, gostei dos CD's que vc postou ai no seu Blog, meus parabéns !
    Esses CD's ai são uma relíquia, os meus eu já estou guardando aqui nas setes chaves pra não perder kkkkkkkkkkkkk- vlw Chico

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OLÁ ! PODE ME DIZER COMO FAÇO PARA BAIXAR ESSA RELÍQUIA?
      JOÃO

      Excluir
  10. NÃO SEI COMO BAIXAR POR LINK EM HTML ou DESSA FORMA, COMO FAÇO, QUE PROGRAMA DEVO USAR, já que o LINK NORMAL NÃO FUNCIONA?
    JOÃO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os dois links, do 4shared, estão funcionando normalmente. Abs.

      Excluir
    2. MAS CHICO, É DIFERENTE ONDE ESTA ESCRITO DOWNLOAD AQUI. nesse caso funciona, MAS NESSE TIPO http://www.mediafire.com/?lwxrx1blt24e076

      NÃO FUNCIONA, NÃO SEI FAZER, NÃO TEM QUE COLAR ESSE LINK EM ALGUM PROGRAMA INSTALADO?

      ME AJUDE NESSA.

      JOÃO

      Excluir
  11. MAS COMO EU FAÇO PARA FAZER O DOWNLOAD A PARTIR DE LINK EM HTML? não é só clicar no link e fazer, ele não funciona. QUE PROGRAMA EU TENHO QUE TER?
    JOÃO

    ResponderExcluir
  12. MAS CHICO, ONDE ESTA ESCRITO DOWNLOAD AQUI, funciona normalmente, MAS NESSE OUTRO TIPO DE LINK http://www.mediafire.com/?lwxrx1blt24e076 NÃO CONSIGO FAZER, NÃO TEM QUE COLAR ESSE LINK EM ALGUM PROGRAMA INSTALDO?

    JOÃO

    ResponderExcluir
  13. OLÁ ! BOA NOITE.

    TEM COMO REPOSTAR A ANTOLOGIA DOS THE CLEVERS?

    OBRIGADO

    JOÃO

    ResponderExcluir
  14. blog perfeito cara, parabéns e obrigado,só raridades *--*

    ResponderExcluir
  15. Bela pesquisa, bela seleção! Parabéns pela paciência e dedicação. Só uma dica, de quem viveu a época: a gravação de "Eu te amo meu Brasil" (Dom) nunca trouxe desprestígio para o grupo. De maneira nenhuma. Os Incríveis eram unanimidade nacional, com uma pancada de sucessos enfileirados ao longo dos anos. Mesmo quem não gostasse deles ou da música jamais se atreveria a falar mal do conjunto.

    "Eu te amo meu Brasil" (Dom) varreu o Brasil como um tsunami em 1970. Todo mundo cantava a música na rua, na escola, na chuva e na fazenda. Tocava no rádio o dia todo. E, depois da conquista da Copa de 70, então, ficou definitivamente grudada no inconsciente coletivo, na memória afetiva nacional. Ninguém chamava a canção de “hino da ditadura”, por mais que o governo se aproveitasse dela. Aliás, a música foi composta por Dom (da histórica dupla Dom & Ravel) sem interferência nem encomenda do governo. Só depois de composta é que foi utilizada na publicidade oficial.

    O ufanismo galopante da letra, em ritmo de marcha-rancho, era identificado com o amor ao país, e não ao governo militar. Por exemplo, a gente falava mal do Médici (à boca pequena, é claro), mas amava os Incríveis. Ninguém conseguiria fazer com eles algo semelhante ao que aconteceu com o grande Wilson Simonal. Nem com a campanha de difamação disparada contra Dom & Ravel, injustiçados até o fim da vida. Nesses, era fácil bater. Falar mal dos Incríveis era como falar mal dos Beatles e dos Rolling Stones. Ninguém era maluco de fazer tamanha asneira. Só muitos anos depois do fim da ditadura é que se ouviu alguma coisa a respeito. Mas sem nenhum alarde.

    Como bem definiu Mingo certa vez: "A gravação foi feita para o povo, não para os militares." Muito esperto, o governo militar explorava o amor ao Brasil nessas músicas. Quem não gostasse, era porque era contra o Brasil. E quem seria contra o Brasil? Essa era a "armadilha", também usada no lendário adesivo "Brasil, ame-o ou deixe-o". Meu pai não achava muita graça nos militares, mas teve o plástico em seu Corcel durante muito tempo. E era muito bonito, sim, senhor. Não significava “viva o governo!”, mas, sim, “eu amo o Brasil”.

    E como era bom ouvir as pérolas "Marcas do que se foi" e "Pindorama", ambas do então desconhecido Rui Maurity, em parceria com José Jorge. Assim, ninguém dava bola para o fato de o compacto duplo "Trabalho e Paz – De Mãos Dadas É Mais Fácil", vir com a chancela "Disco Especial da Presidência da República” no verso. A bolachinha, lançada em 1976, se completava no lado B com "Este é o meu Brasil" (Heitor Carillo – Ernani Turini) e "Este é um país que vai pra frente" (Heitor Carillo). O ufanismo era excessivo, assim como o talento. O comercial de TV com "Marcas do que se foi", feito para glorificar os feitos do Brasil Grande dos militares, também colaborou para transformar o inspirado rock rural em trilha sonora que embalou gerações em rodas de violão Brasil adentro.

    A letra não trazia a menor referência política:

    Marcas do que se foi
    (Rui Maurity – José Jorge)

    Este ano quero paz no meu coração
    Quem quiser ter um amigo
    Que me dê a mão.

    O tempo passa
    E com ele caminhamos todos juntos
    Sem parar
    Nossos passos pelo chão.
    Vão ficar

    Marcas do que se foi
    Sonhos que vamos ter
    Como todo dia nasce
    Novo em cada amanhecer.

    Definitivamente, Os Incríveis estavam acima do bem e do mal. Eles eram... incríveis, e ponto final!

    ResponderExcluir
  16. Para conferir a letra de "Eu te amo meu Brasil":

    Eu te amo meu Brasil
    (Dom)

    As praias do Brasil ensolaradas
    O chão onde o país se elevou
    A mão de Deus abençoou
    Mulher que nasce aqui tem muito mais amor.

    O céu do meu Brasil tem mais estrelas
    O sol do meu país, mais esplendor
    A mão de Deus abençoou
    Em terras brasileiras vou plantar amor.

    Eu te amo, meu Brasil, eu te amo!
    Meu coração é verde, amarelo, branco, azul-anil
    Eu te amo meu Brasil, eu te amo!
    Ninguém segura a juventude do Brasil!

    As tardes do Brasil são mais douradas
    Mulatas brotam cheias de calor
    A mão de Deus abençoou
    Eu vou ficar aqui, porque existe amor.

    No carnaval, os gringos querem vê-las
    No colossal desfile multicor
    A mão de Deus abençoou
    Em terras brasileiras, vou plantar amor.

    Adoro meu Brasil de madrugada
    Nas horas que eu estou com meu amor
    A mão de Deus abençoou
    A minha amada vai comigo aonde eu for.

    As noites do Brasil têm mais beleza
    A hora chora de tristeza e dor
    Porque a natureza sopra
    E ela vai-se embora, enquanto eu planto amor.

    *****

    Ufanismo a toda prova, OK. Mas sem nenhuma menção ao governo militar nem apologia à ditadura.

    ResponderExcluir