Pesquisar este blog

segunda-feira, 12 de março de 2012

Luiz Wanderley - Mundo louco (single - 1966)

Luiz Wanderley, na foto em capa meramente ilustrativa, fez sucesso nos anos 50 e 60

Esta postagem atende ao pedido de um "Anônimo". Trata-se de exceção porque quero fazer um comunicado. Decidi, diante do que vejo e leio em outros blogs, não responder e nem atender mais a nenhum oculto. E olha que já atendi por e-mail a pedidos de anônimos que solicitaram músicas e álbuns não postados no blog. Fiz isso com satisfação, mas a recíproca nem sempre é verdadeira. A maior parte sequer dá retorno, como se fosse minha obrigação. Pensei bem sobre o assunto e conclui que, se alguém se manifesta, seja com opinião, crítica ou pedido, que o faça abertamente, sem se esconder nas facilidades e comodidades que o anonimato oferece. Apresente-se - caso não queira dar o nome verdadeiro - com um pseudônimo, como muitos fazem. Não importa. Respeito a decisão.

Acenei até com a possibilidade de seguir a tendência de limitar o acesso ao blog apenas para os seguidores, mas descartei a ideia, pelo menos por enquanto. Ignorar os anônimos é o primeiro passo. O segundo, só o tempo dirá. Sim, eu sei que posso, ao adotar esta postura, ser interpretado como arrogante, mal educado, chato, egoísta e etc, mas me reservo no direito de saber a quem me comunico. Certa ou errada - a decisão é minha e respondo por ela.

Quanto ao Luiz Wanderley, hoje lamentavelmente desconhecido do grande público, fez parte da minha infância com as suas músicas. Lembro-me que, ainda moleque na rua, prestes a entrar no grupo escolar em 1960, ouvia meu vizinho tocar insistentemente na vitrola o hoje clássico "Baiano burro nasce morto". Até decorei o refrão: "O pau que nasce torto/Não tem jeito morre torto/Baiano burro garanto que nasce morto". Nem sabia o nome do intérprete, mas gostava do que ouvia. Muito tempo depois, num programa de TV, passei a conhecê-lo. Foi nessa época que ouvi "Mundo louco", o "iê-iê-iê" deste compacto lançado em 1966 pela Continental, que teve relativa repercussão e nem a coloco como referência para qualificar sua obra. O disco tem outro significado: mostra que Luiz Wanderley não se prendeu a estilo único. Gravou forró, baião, rock, jovem guarda, samba rock, samba de breque e outros. Além de cantar, também compunha. Se você curte Tim Maia, saiba que é dele, em parceria com João do Vale (outro esquecido, autor de "Carcará"), a criação do hit "Coroné Antonio Bento".

Luiz Wanderley de Almeida, seu nome completo, nasceu na cidade de Colônia de Leopoldina, no estado das Alagoas, em 27 de janeiro de 1932, e morreu em 19 de fevereiro de 1993 em Rio Tinto, na Paraíba, onde foi sepultado. Aperfeiçoou sua vocação pela música aos l6 anos. Entusiasmado pela originalidade da música nordestina, rumou para o Rio de Janeiro, a fim de tentar a carreira artística. Na cidade maravilhosa, entre outras coisas, foi também alfaiate. Fez sua estreia em disco em 1952, pela gravadora Star, com o samba "O palhaço chegou", de Rosângela de Almeida e Enzo Passos. O grande sucesso foi mesmo "Baiano burro nasce morto", de Gordurinha, lançado em 1959. Baixe o LP (na foto acima), postado no blog Forró em Vinil.

Em pesquisa na rede, me deparei com a referência de Roberto Torres na obra "Gordurinha: Baiano Burro Nasce Morto" (2ª ed. 2009) sobre esta música: "Transformou-se numa seta que atingiu de cheio o alvo dos preconceitos a que eram - e ainda são - submetidos os imigrantes nordestinos que viviam nas principais metrópoles do país: Rio de Janeiro e São Paulo", afirma o autor na página 67. E ainda observa: "E foi justamente por este motivo, que - ao ser lançada - “Baiano Burro Nasce Morto” pegou por inteiro, de surpresa o país. Até então, nunca na música brasileira uma voz nordestina - nem mesmo a do Rei do Baião - havia se sublevado neste sentido para defender a dignidade e auto-estima de seu povo com tanta autoridade". Confira, agora, uma das passagens do cantor pela Jovem Guarda:

01 - Mundo louco
..... (Luiz Wanderley - Julio Ricardo)
02 - A lenda do lobisomem
..... (Luiz Wanderley)

13 comentários:

  1. http://www.mediafire.com/?x8cbqjsomm9b3d6

    ResponderExcluir
  2. Chico, você está coberto de razão. Infelizmente muitas pessoas continuam achando que os blogs são lojas de discos gratuitas, onde basta chegar, pegar o que quizer, e nem ao menos dizer um obrigado. Pior ainda, é quando a gente se esforça para conseguir atender um pedido que quando é feito, parece que é questão de vida ou morte, e depois nem se sabe se a pessoa recebeu o link ou não. Isso desmotiva qualquer pessoa a continuar mantendo as postagens, e quando toma medidas radicais, como fechar o blog para seguidores, acabam sendo taxados de egoistas. Espero que essas atitudes sejam modificadas, para o bem de todos que usufruem dessas raridades postadas diariamente no seu e em muitos blogs parceiros. Um grande abraço a voce.

    ResponderExcluir
  3. Endosso as palavras do Wilton. Há muitas pessoas mal agradecidas e mal educadas. E se alguém quer pedir algo, pelo menos diga quem é.

    ResponderExcluir
  4. Eu tbm concordo com Wilton e com vc(Chico)de repente esses anônimos nem sâo tâo anõnimos( são bem conhecidos) e para não serem reconhecidos adotam esse estratagema.Um exemplo é a nossa comunidade: tem muitos membros que acham que lá é loja de discos,acho até que alguns negociam discos..infwlizmente é a pura verdade.
    Parabéns pelo blog e pelas excelentes postagens!
    Miguel

    ResponderExcluir
  5. Wilton, João e Miguel,

    Muito obrigado por entender e apoiar minha decisão. De fato, já vi blogueiros taxados de egoístas, como cita o Wilton. Ora, se fossem egoístas, não teriam criado páginas para compartilhamento de músicas. Egoístas são esses que criam blogs, expõem seu acervo por exibicionismo, marcam todas as fotos em letras garrafais com o endereço da página, não compartilham e nem respondem quando alguém solicita algo. Tenho certeza que são os primeiros a baixar de outros blogs. Eu os considero verdadeiros sanguessugas musicais. Essa é a verdade.

    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Chico,parabéns pelo excelente blog
    agora não se preocupe em dar explicações a quem não merece.
    infelizmente sanguessugas são em grande número.
    abraços e obrigado por criar este espaço para postagem de maravilhas
    Maury

    ResponderExcluir
  7. Chico, como todas as coisas que voce disponibiliza, este Luiz Wanderley é bom demais da conta. Dia desses baixei uma coletanea dele(Luiz Wanderley)na nossa comunidade e curti demais, quando digo nossa comunidade, porque é comun de nós, eu, voce, Wilton, Miguel...
    Mais uma vez parabéns pelo blog e obrigado por tudo.

    ResponderExcluir
  8. Rapaz, desculpe mas foi a pressa e não coloquei a minha conta do google, mas fui eu que pedi o Luiz Wanderlei como anônimo, mas agora acertei a minha conta. Valeu pela excelente postagem, a anos procurava esse disco, depois dessa creio que nesse blog até água no deserto vamos achar por aqui, incrível, você tem um coleção fantástica de discos dificeis. Muito obrigado por compartilhar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não precisa se desculpar, amigo Perut, pois seu pedido - não necessariamente ele, mas o acúmulo de solicitações feitas por ocultos - serviu para eu tomar a decisão de não responder e nem atender mais a nenhum anônimo. O importante é que você foi atendido e está satisfeito. Abraços

      Excluir
  9. POR QUE TAMBÉM NÃO, O LUIZ ?

    Nosso objetivo é que o cantor e compositor Luiz Wanderley, tenha o reconhecimento merecido em sua terra natal, como um artista leopoldinense de raro talento, foi além da sua versatilidade artística, grande vulto da Música Popular Brasileira. Compôs inúmeras músicas para famosos cantores, elevou o nome de seu estado e sua cidade no cenário artístico por onde passou; durante as décadas de cinqüenta, sessenta até o final dos anos setenta, tornando-se uns dos maiores cantores da época. Amadurecidos em nossos conhecimentos, concluímos sem dúvida alguma, que o mesmo defendeu talentosamente a música nordestina, tanto nas suas composições como nas interpretações, inerentes ao seu próprio e único estilo de se apresentar ao público. Fazendo-se precursor de muitos cantores que atualmente se encontram na mídia.
    O saudoso conterrâneo Luiz, colocou alma na música genuinamente nordestina ao sotaque alagoano, sem o holofote da mídia atual, que na época somente poderia ser ouvido através das ondas hertzianas de rádios, com precariedade no sistema de difusão, mesmo assim, conseguiu passar sua mensagem musical para todos os recantos deste país; ainda hoje elogiado e pesquisado em todo Brasil. Através da internet chegam a questionar: – Onde nasceu o Luiz Wanderley? Nós sabemos, para isto é que estamos divulgando a sua história, mas as interrogações persistem! De passagem, queremos lembrar o que ouvimos de um locutor de uma emissora maceioense, a seguinte narração: “Acabamos de ouvir este bonito forró de um cantor nascido na cidade de Palmeira dos Índios”. Tudo bem, é Alagoas, mas, Colônia de Leopoldina é sua verdadeira terra. .
    Afinal, não queremos com isto trazê-lo de volta às paradas de sucesso, mas sim, lembrá-lo como um referencial, um artista da terra. Acreditamos ser impossível retroceder o tempo, mas, é possível evitar que uma obra tão valiosa em termo de repercussão nacional, seja jogada num esquecimento de um passado, mas que sirva de orgulho, e inspiração às novas gerações de artistas que poderão vir a surgir nesta difícil arte, de fazer música e interpretá-la com qualidade.
    Podemos ter a certeza de que através desta simples conscientização, estamos também compartilhados na WEB,
    Azaury Gomes

    ResponderExcluir
  10. Novo link:

    http://www.4shared.com/rar/gfjzKvAI/225_-_lw.html

    ResponderExcluir
  11. Acesse também este link:http://300discos.wordpress.com/2009/12/03/vs10-luiz-wanderley-sua-excelencia-1961/

    ResponderExcluir
  12. Acesse este link; http://300discos.wordpress.com/2009/12/03/vs10-luiz-wanderley-sua-excelencia-1961/

    ResponderExcluir