Pesquisar este blog

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

João Francisco - Definição (Singles Odeon)

Compacto duplo de 1975 tem faixa com a participação especial da cantora Alaíde Costa

Você tem, no mínimo, dois motivos pra baixar os compactos - simples e duplo - do João Francisco. Primeiro porque ele canta bem, o repertório é bom, e nunca é demais conhecer vozes desconhecidas. O segundo porque o pacote inclui a bela "Cantiga", uma obscura gravação com a participação pra lá de especial da Alaide Costa. Acredito que muitos fãs da cantora nem conhecem esse registro. Mas João Francisco tem muito mais a oferecer: a sua música "Definição", de 1975, é uma das primeiras manifestações, senão a primeira, em defesa da liberdade sexual e da comunidade GLBT do Brasil. Além da letra de conteúdo forte, o arranjo de José Briamonte segue no mesmo ritmo, numa crescente que me fez lembrar as boas canções dos festivais da música brasileira dos anos 1960. O samba "A vida é assim" e a romântica "Só" também são deliciosas de ouvir, assim como a enigmática "Cavaleiro da chuva". João Francisco Garcia também é ator e integrou o elenco da telenovela "Aritana", da extinta TV Tupi. (A propósito, gostaria de postar esta e outras trilhas de novelas da Tupi. Tô aceitando colaborações (rs).

Conheci João Francisco em 1979 devido a um job. Ele estava em fase de divulgação do filme "Os imorais", (veja foto abaixo) estrelado pela Sandra Bréa, famosa na época. A atriz era o principal nome do elenco, mas a história com temática homossexual é focada nas personagens de Paulo Castelli (Gustavo) e João Francisco (Mário). O ator, na época, comentava sobre o trabalho no filme e citava a música "Definição" - que ele compôs e gravou quatro anos antes - para explicar o quanto estava preparado para o papel, elogiado pela crítica. Hoje, ao iniciar uma pesquisa na Net pra descobrir algo adicional a respeito do artista e do filme, encontrei um interessante comentário de Adilson Marcelino, da revista eletrônica "Zingu!", em texto sobre Sandra Bréa e o filme de 1979:

"Do mesmo ano é Os Imorais, dirigido por Geraldo Vietri, um dos mais belos filmes de todo o cinema brasileiro, mas que ainda não recebeu toda a distinção que merece. Tudo é notável nesse filme: a abordagem homossexual corajosa; as personagens (Glória, de Sandra; Gustavo, de Paulo Castelli; Mário, de João Francisco Garcia; Julia, de Elisabeth Hartmann; Antero, de Chico Martins; Rosa, de Aldine Muller e Ronaldo, de Denis Derkian); a fotografia de Antonio B. Thomé e o argumento, roteiro e direção de Vietri. Se Sandra Bréa não tivesse feito mais nenhum filme, bastaria Os Imorais para eternizá-la. A atriz vai da sedução e da fatalidade até o mais puro desespero e completa solidão. Sua Glória é memorável, como é memorável o trabalho de todo o elenco, com grande destaque também para Paulo Castelli, ator maravilhoso que, infelizmente, abandonou o cinema".

João Francisco lecionava e vivia um bom momento na carreira de ator. A última vez que o vi foi numa noite inesquecível - não necessariamente por ele. Após o job, no início dos 80, fui vê-lo numa peça de teatro que estava entrando em cartaz. Após a apresentação, fui abraçá-lo no camarim, apesar da minha pressa. Era tarde e eu ainda dependia do ônibus com ponto final no Parque Dom Pedro, em São Paulo, para chegar em Santo André, onde moro. Faria o percurso a pé, do teatro ao terminal, numa "galopada" só, sem preocupação porque a cidade era milagrosamente tranquila. O problema era o horário do último ônibus, o meu "Trem das Onze" (Se eu perder, só amanhã de manhã).

Prevenido, já tinha até separado e colocado o dinheiro da condução no bolso da camisa pra agilizar minha passagem pela catraca do cobrador, enquanto aguardava o pessoal sair do camarim. Troquei meia dúzia de palavras com o bem humorado João Francisco, e me despedi, velozmente, sem saber que aquele seria nosso último encontro. Quinze minutos depois, próximo a Catedral da Sé, eu estava com os braços estendidos para o céu, vitima de assalto - o primeiro de uma lista que prefiro esquecer. Sem lenço, sem documento, mas com dinheirinho contado da condução pra dar ao cobrador, atravessei a catraca do ônibus com amargurada sensação de impotência na alma e a certeza de que São Paulo nunca mais seria a mesma.

01 - Só - 1974
..... (João Francisco)
02 - Vamos todos papear - 1974
..... (João Francisco)
03 - Definição - 1975
..... (João Francisco)
04 - Cavaleiro da Chuva - 1975
..... (João Francisco)
05 - Cantiga - 1975 (part. especial de Alaíde Costa)
..... (João Francisco)
06 - A vida é assim - 1975
..... (João Francisco)

15 comentários:

  1. http://www.4shared.com/rar/FY7hZev8/191_-_JFG.html

    ResponderExcluir
  2. Mais um disco que vou baixar somente por causa dos comentários feitos no blog. Nunca ouvi falar desse cantor, nem como ator, mas acho que pelo que está escrito, vale a pena mesmo conhecer novas vozes. ObrigadO Chico, e cuide-se quando sair de casa novamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você gostar, que tal tocá-lo em seu programa na web rádio Túnel do Tempo? O dueto com a Alaide Costa é muito bonito. Acho que vai gostar.

      Pois é, desde o início dos anos 80 eu passei a me cuidar melhor, mas... sabe como é a vida.
      Abs

      Excluir
  3. Caro Chico,

    Tô que nem o Wilton, baixando por curiosidade e pelos comentários.
    Realmente o cara foi sortudo por usar a temática homossexual, naqueles difíceis anos de censura e conseguir lançar o disco.

    Ai, eu pergunto, por onde anda João Francisco?

    Um grande abraço!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Manoel

      Eu também gostaria de saber. Quem sabe, com esta postagem, aparece alguém para informar sobre o paradeiro do João Francisco.
      Não sei o que achou do cantor, mas eu gostei deste compacto duplo.

      Abs

      Chico

      Excluir
  4. Assisti ontem no canal Brasil, achei ótima a temática do filme, ótimos atores, elenco,direção, um grande filme com final surpreendente.

    ResponderExcluir
  5. Eu assisti também Kim Lima, amei e que história do cara que mora em Santo André. Sou daqui também, moro aqui.

    Gustavo Soares Belo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal amigo,Santo André é uma cidade linda...grande filme com ótimo teor psicológico. excelente atuação da grande atriz Sandra Bréa...excelente também a atuação do João Francisco, por onde ele anda, o que estará fazendo...Paulo Castelli ótimo como gay enrustido,realmente um grande filme com grandes atores e estupenda direção.

      Excluir
  6. Estou seguindo o blog, mas esta história do assalto foi com o dono deste blog? Me tocou conhecê-la.

    ResponderExcluir
  7. Adoro "Os Imorais", tenho uma cópia em DVD. Não sabia que ele havia gravado estes compactos, você comprou na época? Não encontrei cópias para venda pela internet. Nem nunca vi em sebos. Obrigado pelo post e por compartilhar as informações.

    Abraço
    Marcelo Celuzo

    ResponderExcluir
  8. Consegui a cópia e adoro esse filme. Procurei incessantemente por ele e consegui quando alguém em outro site me ofereceu a cópia dele. Cheguei a ver alguns trabalhos dele (João Francisco) mas nunca mais ouvi falar dele.

    ResponderExcluir
  9. João Francisco é proprietário da DublaVídeo. No Youtube tem uma reportagem com ele : https://www.youtube.com/watch?v=ifJV4V6VeGs#t=280

    E mais informações é só colocar no google: João Francisco Garcia DublaVídeo, que vcs terão outras informações atuais.

    Tb gostei muito do filme Os Imorais e passei a pesquisar tudo sobre o filme e sobre o João.

    Abço

    ResponderExcluir
  10. Chico, não consegui baixar o link, que pena!!!

    ResponderExcluir
  11. Para quem tem curiosidade em saber como está o João hj, aqui está o facebook dele. E eu achando que depois do combo: Vietri + a música Definição + o filme Os Imorais, ele fosse gay, mas não. Está casado e com filhos. https://www.facebook.com/joaofrancisco.garciafilho/about

    ResponderExcluir